Agora posso respirar

No domingo acordei (às 11 da manhã – ô feriado bom…) com o Robert tendo ataques na cozinha me chamando pra descer porque eu tinha que ver algo. Era uma carta da imigração que li com os olhos ainda embaçados, me pedindo pra ir lá preparar um tal formulário I-89 necessário para o processamento da minha aplicação previemante aprovada.

Perai. Volta. Pára tudo. Como assim, José? Previamente aprovada?

Eu nunca recebi carta nenhuma dizendo que meu green card tinha sido aprovado (não que já não tivesse passado da hora há muito tempo..) e a mensagem do site da imigração continuava dizendo que ainda estava pendente.

A carta dizia pra eu marcar uma entrevista no escritório de Seattle pra finalizar o tal formulário e foi aí que eu pensei em mil possibilidades. Podia ter sido um erro, mas no fundo eu acreditava que tinha realmente sido aprovada e a carta se perdido no correio. Marquei a hora pelo website pra hoje de manhã mesmo sabendo que tinha uma possibilidade de ser mandada pra casa com as mãos vazias.

E qual não foi minha surpresa em ver o senhor bonzinho tirar uma caixinha de plástico meio suja de tinta da gaveta, pegar meu passaporte e carimbá-lo com a evidência temporário do green card. Ele disse: “com ele você pode sair e entrar do país ao seu bel prazer e trabalhar…” E eu fiquei pensando que isso ía ser maravilhoso, mas o mais maravilhoso mesmo é poder 1) pagar muito menos pela faculdade 2) poder aplicar pra qualquer carreira profissional (ex. medicina) já que a UW não aceita alunos estrangeiros pra essas escolas.

Enfim! Vou esperar a Lu Misura voltar do Havaí e aí sim vamos todos lá nos esbaldar no Canadá!

Ah, e por falar nisso o passaporte do Robert expirou há um ano atrás e só descobrimos isso ontem de noite.. e sinceramente fofis, se vocês já reclamaram um dia de tirar passaporte brasileiro, não queiram nunca ter que tirar o canadense, porque é uma burocracia atrás da outra.