Santo Súbito

Um santo se torna um santo porque ele (ou ela!) É um santo; a Igreja meramente o reconhece através da papelada formal, eleva a pessoa ao altar, e a coloca no calendário. Num senso estrito, a formulação popular está errada: a Igreja não “faz” santos.

Portanto, a partir do momento que vox populi declara que aquele homem é um santo em vida, um santo ele deverá ser após a morte. Independente de milagres e formalidades da Igreja.