Resolvido!

E digo a todos que fico!

Depois de quase 3 anos de agonia tentando descobrir o que fazer da vida, resolvi que vou voltar a faculdade de
veterinaria! Eh isso ai, ja pensei em tudo, mas o gostinho da veterinaria nao sai, nao larga! Nao existe coisa no mundo que
me satisfaca, nao tem jeito. Enquanto nao terminar essa faculdade nao terei sossego e serei infeliz pro resto da vida.

Ufa.

Mas calma. A jornada aqui so vai comecar na primavera do ano que vem (março), quando FINALMENTE serei, aos olhos do tio Sam,
considerada “residente para fins academicos”. As faculdades aqui têm dois preços. Um, para americanos e residentes do
estado, e outro para estrangeiros ou residentes de outros estados. A diferenca de preço é algo fenomenal.

O visto que eu tinha, permitia que eu fosse considerada logo de cara residente se, por exemplo, eu morasse na California.
Mas a sorte me persegue, e neste estado eu só posso pagar mais barato depois de 1 ano de eu ter aplicado o I-485 (formulario
para mudança de status, de condição de não-imigrante, para imigrante). Isso significa que no dia 17 de fevereiro de 2005 eu
poderei me matricular em QUALQUER college, university, ou o cacete a quatro que eu quiser! Vocês não imaginam a felicidade, a
sensação de liberdade, de finalmente, de graças a Deus!!

E também não é assim… vou logo entrando. A minha jornada vai ser difícil, longa e sofrida, mas eu estou mais do que
convencida de que não há nada nesse mundo que eu vá me contentar. Tentei me convencer disso quando tinha 17 anos, quando
entrei para a PUC-Rio para fazer Comunicação. Não gostei. Só fui me realizer quando entrei para veterinaria em 2000. E porque
vou quebrar a cara de novo? Não. Vou fazer o que eu gosto. E ponto final.

Os proximos anos estarei ainda aqui. Preciso completar todos os pre-requisitos para entrar na faculdade ainda e isso vai
demorar uns 3 anos ainda. E depois disso, a faculdade fica a 4 horas daqui. O Thomas ja vai estar maiorzinho, o que ajuda
muito. Nos resolvemos que na hora de ir pra la, vamos comprar ou um apartamento lá, ou uma casa para dividir com umas
pessoas, e venho nos finais de semana, ou o Robert e o Thomas vao pra la. O Thomas ficaria com o Robert, para ir a escola
aqui.

Ja me acostumei que isso nao eh o fim do mundo (antes eu achava), mas dor pior do que ficar 5 dias por semana sem ver a
minha familia, eh saber que nunca vou poder realizar o sonho de ser veterinaria.

Minha mae e meu padrastro moraram separados por 6 horas, ela no Rio e ele em Sao Paulo, por dois anos, no final ela estava
até gravida da minha irma mais nova, e ainda sim sobreviveram!

Nós tambem vamos!