Quero mais!!! (ou “Eu amo a Disney”)

Nossa, Gabi e eu voltamos de Los Angeles ontem à noite. Foi uma delícia! Solzão delicioso! Depois coloco as fotos, tiramos muitas!

Levantamos da cama na sexta às 3:30 da manhã depois de ter dormido apenas umas 2 horas e meia, nos enfiamos nas primeiras roupas que achamos e seguimos pro aeroporto. O vôo foi surpreendentemente tranquilo e chegamos lá  às 8:30 da manhã. Alugamos um carro (uma SUV, mas notei que os carros lá são na maior parte bem “menores” do que aqui, lá se usa muito mais conversíveis e vi também muitos muitos Priuses), e seguimos direto pra Universal. O que no trânsito de LA significou quase 1 hora, mesmo os GPS desviando a gente pra ruas secundárias. Fomos guerreiras.

 Chegando na Universal, nosso sono foi pro espaço e aproveitamos bastante. Como tínhamos pago a mais pra “furar a fila”, não ficamos cansadas de ficar esperando, mas também o parque não estava muito cheio. Pensei o tempo todo no Thomas. Foi muito divertido nos molhar nos brinquedos e não ficar com frio…

Saímos de lá antes de fechar pois já tínhamos visto de tudo e já estávamos morrendo por estarmos quase sem dormir. Íamos nos encontrar com minha amiga Juliana, mas não aguentávamos esperar pra ela sair do trabalho e então fomos pro nosso hotel em Santa Monica, e nos deliciamos com a vista de frente pro mar do nosso quarto. E ainda ficamos no último andar do prédio de 18 andares o que deu pra ter uma idéia boa da paisagem de Los Angeles. Pra quem quer pagar um milhão pra um apartamento, Santa Mônica é o lugar. Me lembrou muito a Ipanema, com feirinhas, barzinhos, gente no “calcadão”. Uma graça. As nossas camas estavam uma coisa pra lá de confortável então tomamos um banho e caímos nos braços de Morfeu antes das 9h da noite.

Dia seguinte acordamos bem às 7:30 da manhã e seguimos pra Anaheim (um pouco menos de 1 h sem trânsito) pra aproveitar a Disneylândia. Foi bom só estarmos nós duas porque assim fomos em todos os brinquedos tipo montanha-russa que o Robert não gosta e perigava do Thomas não querer ir. Até eu fiquei surpresa de eu ter ído em certos brinquedos, porque sou muito medrosa, mas eu confio muito nos parques da Disney.

De qualquer forma, fiquei o tempo todo imaginando o Thomas lá, o que foi meio agridoce essa ída pra lá agora. Mas dia 22 de março seguimos pra lá de novo, mas dessa vez passando por outros lugares que queremos conhecer na Califórnia e Oregon. Foi bom eu ter ído primeiro porque agora posso avaliar se o Thomas vai ou não ficar com medo dos brinquedos. Ele gosta quando eu explico com detalhes como é e ele abre um sorrisão e já começo a ver os sinais de que ele vai ficar maravilhado quando for. Até então ele não entendia bem o que significava ir à Disney. Ele já disse que vai numa montanha-russa pequena, mas na grande não. Vi muitas crianças menores que ele indo nos brinquedos que eu estava me tremendo de medo, então acho que ele vai se animar a ir em vários deles. Menos na casa dos horrores da Universal, que coisa horrível! Você vai andando e tem uns caras fantasiados lá dentro te dando susto: eu quase caí em cima de um velhinho que estava na nossa frente, porque os carinhas viram logo que eu estava com medo e resolveram cair com tudo em cima de mim.

No domingo, fomos tomar um brunch com a minha amiga Camila no Omelette Parlor , e eu comi Eggs Benedict com abacate e tomate seco que estava uma delícia. E tomei um suco de laranja feito na hora que estava ótimo. Ótima dica! Brigada Camila!

Depois ficamos dirigindo pela região – fomos até Malibu, UCLA, Hollywood Blvd, Sunset Blvd, Beverly Hills, Venice, e até consideramos ir na Fogo de Chão (churrascaria) que fica lá em Beverly Hills mesmo, mas já estava ficando tarde e tínhamos que voltar pro aeroporto. Devolvemos o carro, compramos um filme pra assistir no laptop e mas acabamos sentando separadas no vôo e tivemos que nos contentar em não fazer nada por 2h e meia. Fora isso, o resto da viagem foi perfeito e fiquei muito feliz porque eu estava a neurose em pessoa com medo de algo dar errado e eu não ter o Robert lá pra me socorrer.

Não vejo a hora de março chegar! O Thomas vai amar e o Rob também, apesar de que ele diz que não, mas ele nunca foi – quem não gosta da Disney só pode ter morrido por dentro. Eu viro criança lá.

Em março essa foto vai ser de nós três. Aliás, o meu grito não não foi nem por causa da Splash Mountain em si, mas porque já estava de noite e porque eu vi o tamanho da onda que o nosso “carrinho” fez e que ía cair em cima da gente, entrei em pânico porque sabia que ía ficar ensopada. Mas só passei um pouquinho de frio e a roupa secou logo, mesmo de noite. Eu já tinha ído na Splash Mountain em Orlando e não lembrava de ter me molhado não, daí a surpresa. Aliás, se teve uma constante nessa viagem foi o ficar molhada, parece até que todos os brinquedos que nós fomos arrumavam de nos molhar de uma maneira ou outra.