Perfeição

Meu coração quase saiu pela boca quando o Robert voltou de uma entrevista com uma das escolas que estamos considerando pro Thomas. Aliás, o tópico escola já estava me dando nos nervos, porque as que eu gostava não tinha vaga e as que tinham vaga eu não gostava.

Até que tinha essa escola, que eu tinha gostado, não fazia idéia do preço mas sabia que tinha vaga porque essa escola acabou de abrir mais uma extensão. O nível de satisfação dos pais é excelente e a escola é montessori – taí um outro requerimento. Eu não sou lá uma fã fervorosa de escola alternativa como Montessori, Waldorf, Sudbury, Piaget, etc… MAS, o Thomas está numa situação bem complicada.

Ele nasceu no final de outubro e pelas leis do estado somente crianças nascidas antes do dia 31 de agosto podem seguir pro Kindergarten. E o Thomas, que sempre foi academicamente (não necessariamente emocionalmente) avançado pra idade dele, foi colocado numa turma pré kindergarten quando ele ainda estava com 3 anos, sendo o mais novo da turma em 6 meses.  Isso foi ótimo porque ele estava completamente entediado na turma “certa” dele.

Como na escolinha dele tinham muitas crianças na mesma situação, e a escola é pequena o suficiente pra fazer esse tipo de mudança, a diretora criou uma sala separada pras que são muito novas pra Kindergarten, mas que já fizeram o pré e agora precisam de algo diferente e mais avançado, chamado Junior Kindergarten. A promessa é que o curriculum seria bem parecido que o próprio Kindergarten.

Só que agora, o Thomas já tem 5 anos e ainda não pode ir pro Kindergarten, por causa do mês que ele nasceu (saco!). Por isso não quero botar ele numa escola normal, o que significa ter que botar ele com crianças de 3 e 4 anos e repetir todo o curriculo de um ou dois anos atrás! Santa paciência! Se já não bastasse ficar com crianças mais novas – e ele adora as criança mais velhas – ainda vai ter que repetir tudo de novo? Eu acho isso um disserviço e por isso procurei alternativas pra continuar estimulando ele, porque ele adora aprender coisas novas, é muito inquisitivo, adora ajudar e a dar “aulas” pros amiguinhos.

E aí que a Montessori entra em questão. Eu não escolhi a Montessori, a Montessori me escolheu, por assim dizer. Nunca pensei em colocar o Thomas em escola alternativa, pelo contrário! Quando ele era bem pequeno eu queria que ele fosse pra escola católica mas hoje em dia eu não quero nem pensar nessa possibilidade. Como são várias escolas Montessori perto da minha nova casa, e nenhuma das Waldorf por exemplo, não tive que pensar muito em qual colocar.

Procuramos por várias! Eu queria uma que fosse academicamente estimulante (de preferência com ênfase em ciências e literatura), que tivesse um espaço externo bem grande pro Thomas brincar (aqui não tem essa de frio, chuva e neve, as crianças brincam do lado de fora não importa o tempo), que tivesse atividades extras como música e esportes e que bem, que coubesse no nosso bolso!

Aí hoje de manhã o Robert foi nessa entrevista que já estava marcada há um tempão, pra ver se essa escola continuava na nossa lista ou não. Ele voltou de um jeito que eu nunca vi ele antes. Ele disse que ELE quer ir pra essa escola. Hahaha!

Primeiro ele me disse o preço e eu quase caí pra trás. Dá pra pagar, mas cacete! Aí ele foi me dizendo as coisas que ele viu lá e o preco começou a ter menos e menos importância. E ele sabe das coisas que eu gosto então o danadinho começou a listas essas coisas só pra me convencer. Não precisou de muito convencimento não, eu adorei! Ele começou dizendo que eles tinham um jardim enoooooooorme (que eu já tinha visto e amado) e um ginásio coberto que eu ainda não vi. Quando ele falou isso eu já estava quase concordando…

Aí ele começou a querer me dar ataques histéricos, dizendo que a escola é patrocinada pela Gates Foundation (ele sabe que eu AMO o Bill Gates e AMO a Gates Foundation, um dia eu ainda vou trabalhar lá – se tiver um tempo, leia a parte de educação no site da Gates Foundation, espero que um dia revolucione a eduacação nos EUA que está precisando e muito e em outros países) e que tem PCs e outros brinquedos High Tech em cada sala de aula. Ele, o danadinho, sabe que eu daria um milhão de dólares (se eu o tivesse) pra botar um filho meu em escola patrocinada pela Gates Foundation. Essa fundação maravilhosa merece um post só pra ela um dia, tem muita coisa pra ser dita.

Mas ele nao parou aí. Começou a dizer que eles tem um aquário enorme de ovas fertilizadas de salmão que eles vão soltar nos rios em Abril. Um bom indicativo do que eu gosto: ciências ao alcance das mãos. Muito bom!  Não sei se é parte do currículo normal da Montessori, mas eu acho que é, porque Maria Montessori foi uma médica, pois notei que as escolas Montessori são bem voltadas pras ciências, mais do que as escolas normais e infinitamente mais do que as escolas religiosas. Ponto pra elas!

Também disse que a coordenadora/professora que estava levando ele pelo tour na escola, era abraçada pelas crianças conforme ela ía andando. Legal! Ela nos convidou pra assistir o teatrinho feito pelas crianças chamado “Parada de Animais” na semana que vem. Acho que vai ser ótimo pra conhecer os pais, as professoras, as crianças e pra deixar o Thomas bem animado com essa escola. E eles ainda vão ter excursão pra levar as crianças no balé Quebra Nozes (que eu vou esse ano, mas não vou levar o Thomas por achar que ele não ía aguentar todo o programa), pena que vai ser agora dia 6 e ele ainda não vai estar lá. E o Robert pra me matar do coração de vez, disse que em janeiro e fevereiro, toda as sextas, as crianças vão pra escola de esqui! Aí mesmo que tive um colapso nervoso e disse, ok ok! Pára que é pra lá mesmo que ele vai!

Só pra coroar, ele disse que no dia 10 o Thomas vai passar o dia lá (ainda não sendo matriculado) pra ver como ele gosta e pra ser também analizado pra ver se ele pode ser colocado na Kindergarten. Seria maravilhoso. O único problema é que eu acho que depois dessa escola, que é particular, vai ser muito difícil colocar ele na escola primária pública aqui no ano que vem. Apesar de que o ensino primário no país em geral é de muito boa qualidade, eu acho que vou gostar muito dessa escolinha Montessori. Acho importante manter a mente aberta, mas no entanto, pelo menos pelo próximo ano, o Thomas vai pra melhor escola que a gente pode imaginar.