Pay it forward

Há algumas semanas atrás, nós tivemos uma tempestade de neve (a primeira de algumas…) que tirou todo mundo do sério e da rotina. As pessoas levaram horas pra chegar em casa, algumas até desistiram de dirigir na neve e no engarrafamento e dormiram em hotéis mesmo.

Foram uns dias conturbados, mas interessantes. Uma das coisas que eu mais me lembro, por mais boba que pareça, foi ter visto um senhor de mais de 70 anos ajudando um menino com seus 18 anos a desatolar seu carro da neve.

Esse senhor simplesmente passou dias na frente da sua própria casa com corda e outros apetrechos preparado para ajuda a quem ficasse atolado. Aparentemente, era um pedaço complicado para carros menores e a neve estava profunda.

As câmeras da TV filmaram tudo. Assim que o carro do menino atolou, ele jogou a corda em cima do ombro e foi lá ajudar sozinho. Alguns minutos depois, o carro estava livre. O menino saiu do carro pra agradecer o gesto, e qual não foi sua surpresa quando aquele senhor rebateu: “Não precisa me agradecer, mas não se esqueça de passar o gesto adiante”. O menino parou um pouco, acho que não esperava por essa, abaixou a cabeça em respeito e disse: “Sim, senhor!”.

Gostaria de agradecer às pessoas que têm me ajudado a conseguir entrar para a Universidade de Washington. Vocês sabem quem vocês são, mas só pra não ter nenhuma dúvida: Dr. Flea, Luciana Misura, Pedro Giglio, Aline Orr, Ana Vilaça, Rob, meu pai, minha mãe, Paulo e minha madrinha Marina. Sem contar nas inúmeras pessoas que me dão todo o apoio que preciso agora. Obrigada!!! Com certeza passarei o gesto adiante!