Onde eu fui amarrar minha égua!

Há muito muito tempo atrás, eu respondi a um anúncio de uma faculdade técnica local procurando por professores de diversas
áreas para dar aulas de Continuing Education, que na verdade, são aulas que tem a duração de um semestre (ou quarter) normal,
mas que só dão certificados.

Mandei um email para o encarregado perguntando “estariam interessados em alguém para ensinar culinária brasileira?” – Na
época eu estava desesperada pra arrumar qualquer trabalho, mas quando o diretor de Artes Culinárias da faculdade me
respondendo dizendo que SIM, eu quase caí pra tras e não respondi ao cara.

Ai, tipo, em dezembro passado ele me manda outro email perguntando se eu ainda estava interessada para dar aula pro Spring
Quarter (de abril a junho) e eu obviamente não respondi de novo. O que esse cara acha que eu sou? Sei cozinhar muito bem, mas
nao sou chef, não sei cortar aqueles vegetais pequenininhos e rapidinhos. Aprendi tudo que sei sozinha, revirando nos
armários da cozinha.. ele seria louco em me contratar.

Ai, hoje ele me manda outro email perguntando DE NOVO se eu ainda estaria interessada, pro Fall quarter (19 de setembro
até dia 15 de dezembro) e dessa vez decidi responder ao cara dizendo “eu fiz faculdade de publicidade, não de culinária, e
sou professora de português”, crente que ele ia responder “ah, então passar bem..”. Mas o cara, insistente, me manda outro
email dizendo “Se você tem paixão por culinária e habilidade de passar esta paixão para seus alunos, isso é tudo que me
interessa, liga pra mim aqui na faculdade. E gostei da idéia de ensinar cozinhas brasileira e portuguesa”.

Caraca, ri muito com isso. Desde quando “I teach Portuguese at Berlitz” quer dizer que entendo de cozinha portuguesa? Bom,
as pessoas entendem o que querem, a minha dúvida agora é se esclareço essa confusão ou vou na fé. Afinal, até setembro dá pra
eu aprender algumas receitas portuguesas… HAHAHAHAH