O humor

Não tenho vontade de comer pickles com maionese, nem chocolate com catchup. A única coisa que mudou, psicologicamente, é o meu humor. Quando eu estava grávida do Thomas eu chorava de soluçar ao ver o Papa e ficava acordada até às 3 horas da manhã discutindo política com o maridão, que obviamente só queria ter uma noite normal de sono. Dessa vez, já chorei desesperadamente (pode rir) vendo "Enchanted" ("Oh, que lindo! buááá) e "Wife Swap" ("Por que essa mulher está fazendo a outra sofrer? buááá"), e eu ria e chorava ao mesmo tempo porque eu tinha consciência que se eu estivesse "normal" eu não estaria chorando. O outro extremo, é rir de doer a barriga das besteiras mais abestalhadas possíveis. Tipo, tem um vídeo no youtube de um "pênis voador" que eu já vi umas 10 vezes e choro de rir toda vez que eu vejo. Uma bobeira sem tamanho! Hoje encontrei outro vídeo de um bebê rindo em slow motion, que ficou como um vídeo de horror, que com certeza vai fazer parte das minhas manhãs quando eu achar que estou precisando de uma dose de boas gargalhadas.