Dream dream dream

Essa noite sonhei com meu pai. Foi meu último sonho da noite e acordei tão tranquila! Pena que foi muito curtinho, mas foi o único sonho que tive com ele desde que ele morreu.

Eu estava na sala do apartamento dele, vindo visitar depois desses meses todos. E era como se nós não tivessemos nos falado por esse tempo e eu estava querendo saber das novidades. Então ele fala assim: “Nossa, você não sabe da maior, depois que você foi embora eu ainda tive mais uma daquelas infecções brabas, mas aí eu fiquei bom” . Eu olhei pra ele dos pés à cabeça e ele estava mais magro do que o normal com certeza, mas já não parecia mais doente. “Vamos, coloca o pé-de-pato e vamos mergulhar!”

Eu olhei pra ele e disse “Pai, você está se sentindo bem mas você ainda não está 100% recuperado imunologicamente falando, é melhor não arriscar”. E ele: “Que isso, vamos pra água, vai, põe o pé-de-pato”

Eu sentei no sofá e fiquei falando não e ele insistindo… aí eu acordei. Curtinho demais. Mas sabe quando a gente sente um conforto bem grande?

Fui fazer minhas coisas na rua e, na hora do almoço quando voltei pra casa, resolvi dar uma ligada pra minha mãe. Contei pra ela do sonho e ela me disse que o meu irmão tinha trazido pra casa os pés-de-pato do meu pai.

Apesar de no meu subconsciente eu ter imaginado que ele, por ter tido barcos e adorar mergulhar, obviamente teria um par de pés-de-pato em casa, eu nunca vi nenhum pé-de-pato nem ouvi falar que ele tinha. Achei uma grande coincidêndia que justamente o artigo que meu irmão trouxe pra guardar de lembrança, foi o que ele pediu pra eu calçar pra ir nadar com ele. Mesmo não acreditando em vida após a morte, eu acho muito engraçado como a nossa mente age pra nos proteger ou pra nos confortar, nos momentos que mais precisamos. Mas que foi coincidencia, foi.