D’oh!

Eu limpo minhas janelas frequentemente. Não tão frequentemente como no Brasil onde as empregadas limpam toda semana. Mas eu limpo sempre que está comecando a ficar empoeirado. O que em quase 3 anos morando nessa casa, quer dizer que eu já limpei bastante.

Eu sempre fiquei intrigada em como as empregadas no Brasil sobem no parapeito do vigésimo andar e limpam com jornal e álcool aquelas janelonas imensas dos prédios da zona sul do Rio.

Com as minhas janelas eu não me arrisco a tanto, mas eu me estico ao máximo para limpar aquela parte que fica entre uma face e outra, aquela partezinha que a sua mão não passa. Já quebrei muito a cabeça por causa disso, tentei vários jeitos até achar o mais prático e eu acho que o que a técnica que eu normalmente uso é de enfiar alguma coisa fina o suficiente, tipo faca, régua, etc, pra guiar o papel entre as faces e assim limpar o vidro todinho.

Já xinguei muito essas janelas.

Aí hoje, me deu uma louca de fazer uma mudança geral aqui no meu quarto. Comprei umas roupas de cama e cortinas novas e rearrumei os móveis e tapetes. As cortinas, roupas de cama e tapetes eram muito pesadões pro clima que já tá entrando. E eu quero a primavera no meu quarto. Adeus cortina pesadona de veludo cor de verde natalino. Hello, duvet cover de seda fresquinha e listradinha azul bebê e cortina combinando.

Quando arranquei finalmente aquelas cortinas, que me dei conta da janela. Cruzes, que sujeira! Tira a tela, enfia debaixo do chuveiro e começa a limpar…

Estica dalí, estica de lá.

– Robert, me ajuda aqui que você é mais alto e seu braço é mais comprido!

Robert vem, TIRA AS JANELAS e encosta na parede.

Como assim?

Robert: Ué, as janelas saem pra ficar mais fácil de limpar.

Eu: TODAS as janelas saem?

Robert: Todas as janelas saem.

Eu: Por que você nunca me disse isso antes!?

Robert: Porque você nunca perguntou, ué.

Hmmm, meus vizinhos devem me achar uma maluca que de vez enquando amarra um pedaço de pano na ponta do cabo de vassoura e usa isso pra limpar a janela por fora.