De volta

Então, sim, estou de volta. Voltei domingo passado depois de quatro vôos cansativos, cheguei mortinha da silva. Na verdade,
era pra ser Rio-São Paulo-DC-Seattle, mas lá em DC (que aeroporto grande!) eu tive que rodar tanto entre aviões que quando
cheguei no portão, o meu avião indo para Seattle já estava partindo. Juro que quase chorei, com os nervos à flor da pele,
cansada, fedida, gripada e melequenta (e com formol nos cabelos!), aceitei ir para Chicago e de lá ir para Seattle.

Bom, cheguei. Minhas malas chegaram antes, no vôo que eu deveria ter pego, cheguei e fiquei plantada do lado delas
esperando o maridóvisk que chegou com flores e ursinho de pelúcia. Aquela gente que parece que nunca viu isso antes ficou
olhando pra gente com sorrisinhos no rosto. Eu hein, vão procurar suas malas, vão..

E cheguei com chuva. Tá, aqui sempre chove e tal, mas não tinha quase chovido o mês que eu estive fora e resolveu chover
bem naquele dia. No dia seguinte melhorou.

Eu não. Fiquei gripada a semana inteira, meu couro cabeludo coçando sem eu poder lavar por três dias, a casa até que
estava arrumada, mas a lavanderia!!!! Quanta diferença…

Estou até agora lavando roupa de 1 mês atrás, mas ele é quem dobra, tá pensando o quê?

Está ainda frio aqui. Ainda estamos em fevereiro. Mas tem sol lá fora, o que me deixa mais animadinha.

Foi aniversário dele no sábado e por isso fomos até Seattle nos encontrar com amigos e almoçar num restaurante Tailandês.
Comi costeletas de cordeiro maravilhosas.. Voltei para casa comendo bonbons de cereja e licor da kopenhagen. Foi um bom
aniversário.

Hoje é dia dos namorados aqui. Ainda não sei o que vamos fazer, talvez só uma comidinha mais sofisticadinha em casa mesmo.

Mas então é isso. Cheguei, mas ainda não me adaptei, estou meio que num limbo geográfico.