Eu e o Robert sempre conversamos serio quanto a adocao de uma crianca. Mas era uma coisa que sabemos que ia acontecer mais tarde, tipo, daqui ha pelo menos 2 a 5 anos. E os planos continuam assim.

Porem, de vez em quando, nos pegamos (eu e ele) passeando por sites que criancas para adocao, em todo o mundo. Normalmente nos vamos ver as criancas brasileiras.

Nosso interesse era de adotar uma crianca mais velha, de pelo menos 3 ou 4 anos, porque sabemos que nenem recem-nascido na maior parte das vezes, ja tem uma familia para ir. Nao que eu nao queira adotar um bebe, mas uma crianca maiorzinha nos daria uma satisfacao muito maior, no sentido de “fizemo uma coisa maravilhosa”. Sem falar no sentimento de maravilhamento que uma crianca adotada normalmente tem. Eu acho que mostrar o mundo e as possibilidades, para uma crianca que viu o pior, eh uma das
tarefas que mais me daria satisfacao.

Bom, mas tem essa menininha aqui, que provavelmente nao vai dar pra adotar, ne, nao por questoes economicas, mas porque acho que com o nosso status, sem ter o visto permanente ainda, so ia complicar ainda mais. Sem falar que a crianca nao teria cidadania americana. Nao sei se a situacao eh mais simples ou mais complicada do que eu acho, eu so acho que agora nao eh a hora. Mas quando eu vi a foto dessa menina, Anisia, que o Robert acha que eh da Ucrania, de 3 anos. Eu perdi completamente qualquer parametro do que eh certo, e parecia crianca querendo doce. E o Robert ficou assim tambem.

Felizmente, a empresa do Robert providencia nao so a parte burocratica, quando tambem a financeira (eh, pra adotar, precisa pagar, e muito, nao eh como no Brasil que eh de graca), ou seja, voce ou nao paga nada, ou paga muito pouco. Tem que contar tambem com as viagens ao pais e tal.

Bom, nao vou me alongar, porque nao eh uma coisa que eu vou fazer pra ja, mas olhem so os olhos da minha paixao:

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *