Acho que essa tática não vai funcionar

A verdade é que depois de 8 anos desgraçados sob o mandato de Bush, qualquer presidente Obama ou McCain, ía fazer uma diferença enorme. Obviamente, não suporto os republicanos ortodoxos (o que McCain não é) desde que pisei nesse solo e sem saber, assisti Fox News dias a fio como se fosse noticiário local. Eu choraaaaaava de raiva assistindo Sean Hannity e Bill O’Reilly (sempre com participações especiais de Ann Coulter). Eu só faltava quebrar a televisão e comprar meus tickets de volta pro Brasil, porque não haveria jeito ou modo de eu permanecer nesse país onde a televisão prega visões políticas  tão distorcidas da minha realidade. Eu poderia simplesmente desligar a TV, mas eu tenho essa mania de querer sempre entender o meu “adversário”, pra pelo menos ter algum argumento válido.

Fui contar o meu desprezo pro Robert e ele achou graça dos meus olhos espantados. Foi depois disso que eu entendi que aquela televisão era sensasionalista e tão republicana ortodoxa que nem os republicanos normais assistiam. O mais engraçado é que eles dizem que são “justos e equilibrados” ao dar a notícia, mas isso não poderia estar mais longe da verdade – ou talvez esses sejam justos aos olhares de quem gosta daquele canal. Meus conceitos de jornalismo imparcial foram todos por água abaixo. Nunca tinha visto nada igual.

Desde aquelas primeiras semanas nos EUA, eu não assisto mais esse canal. Meu ranço com os republicanos ficou marcado de tal forma que ficou difícil distinguir um do outro. Talvez se minha experiência tivesse sido diferente, se eu nunca tivesse assistido àquele canal, eu entendesse melhor os republicanos. Mas o que eu entendo é que McCain não se deixa dobrar facilmente pelos conceitos rebublicanos e tem idéias inovadoras. A ponto de Coulter declarar há uns anos atrás quando a corrida eleitoral começou: “Se McCain estiver no ticket republicano, eu vou votar na Hillary, porque ela na minha opinião é mais republicana que McCain”. No entanto, McCain possui valores que não condizem com o que eu acredito, e Obama mesmo se fosse republicano ou do partido verde, ganharía todos os votos só pelo carisma e pela maneira que eletriza os simpatizantes. Eu lembro de ter escutado ele pela primeira vez em abril de 2006 e torcido pra ele entrar para corrida eleitoral.

A verdade é que todo mundo nesse país está farto da situação que chegamos. Um candidato como Obama cai muito bem porque tem o suporte dos Kennedy e inspira.  Depois do Katrina, da crise imobiliária e econômica, e do fracasso da guerra, o povo tá precisando de inspiração, esperança e principalmente de mudança. Fosse outra a situação, McCain talvez tivesse um pouco mais de vantagem. No entanto, as últimas pesquisas que li, tinham ambos bem emparelhados com uma pouca diferença.

Isso deve mudar (não sei pra que lado) depois que McCain anunciou hoje sua vice presidente, uma governadora bem republicana que ninguém nunca ouviu falar. McCain deu um tiro no pé nessa escolha por dois motivos: subestimou o eleitorado feminino em escolher uma mulher somente porque tem uma vagina (ai, como vou ter spam agora), e não poderia ter escolhido uma pessoa mais não experiente pra correr ao lado dele – já que os republicanos batem sempre na mesma tecla que Obama não tem experiência para ser presidente, isso é meio contraditório.

Eu tenho a impressão (mas só as próximas pesquisas vão dizer) que McCain entregou de bandeja essa corrida para Obama. Hillary e Palin não poderíam ser mais diferentes em convicções, mas ele racionalizou que uma mulher como vice ía lhe trazer todos os votos de Hillary, o que eu pessoalmente acho uma afronta. O mais engraçado é que Robert e eu pensamos na mesma logo depois de Obama escolheu Biden – “Não seria engraçado se McCain escolhesse Hillary como vice?” Claro que esse quadro seria muito difícil de acontecer, mas não impossível, ainda mais depois do que Hillary aprontou contra Obama. De qualquer forma, McCain não deve ter ganho voto extra de ninguém com a escolha de Palin, deve ter até perdido de gente que se sentiu ofendido por essa escolha. As mulheres que votaram em Hillary, votaram porque ela é uma mulher forte, pró-aborto, feminista, é a favor de um sistema de saúde nacional e tem o Billzão do lado dela. Já Palin é ultra-conservadora, gosta de armas, é pro-vida, a favor de destruir certos refúgios ambientais do Alasca para tirar petróleo e só distancia mais McCain do meião indeciso que pode ir tanto para a esquerda quanto para a direita.

 

update: acabei de descobrir que Palin é a favor de ensinar creacionismo nas escolas públicas e quer tirar o urso polar da lista de animais ameaçados de extinção por acreditar que isso impede o desenvolvimento do petróleo e do gás natural no Alasca, entre outras pérolas dignas de Fox News (que deve estar se deliciando). Mas isso deve ser completamente aceitável para os republicanos, já que ela usa um broche com a bandeira dos EUA (Obama foi considerado anti-patriota por eles por não fazer o mesmo).