E o grande dia chegou. Rob foi buscar o motorhome sozinho enquanto eu arrumava as últimas coisas pra viagem. Uma grande vantagem é não necessariamente precisar de malas e é até melhor mesmo ir sem elas. Arrumei as coisas de cozinha numa caixa e um cooler só mesmo pra poder levar pra dentro do motorhome, as roupas das crianças numa mala de mão porque eu não tinha outra coisa e as nossas roupas foi numa cesta de lavanderia mesmo, assim como coisas de banheiro. Na nossa viagem da Califórnia eu vou me organizar melhor e preparar caixas tipo aquelas da Ikea pra colocar em gavetas.

20130608-075446.jpg

Ele chegou lá prás 11 da manhã, carregou alguns galhos das árvores do vizinho, mas sem maiores problemas. Esse dia estava QUENTE e o ar condicionado estava a todo vapor.

20130608-075639.jpg

Um pouco antes de sair, com as crianças já em seus lugares. Esse motorhome tem uma cama Queen dentro do quarto do casal, que fica no final dele. Dentro desse quarto  a primeira vista, você só vê a cama, uma pia daquelas redondas pequenas, espelho, e o armário dessa pia. Tem também duas janelas, alguns armários retangulares parecidos com os que aparecem na foto acima das cabeças das crianças e uma parede de armários. Dentro dessa parede de armários tem uma lavadora/secadora de roupa pequena e bastante espaço pra guardar roupas, cabides, prateleiras, etc. Esse quarto também se expande (assim como a sala/cozinha) quando vamos passar a noite, então fica bem espaçoso.

Além disso, o sofá onde o Thomas está sentado abre como uma outra cama queen que você pode usar com um colchão que já está nele, mas também pode fazer mais fofinho enchendo um colchão de ar que vem acoplado. O sofá onde o Lucas está vira uma cama de solteiro. A mesa de jantar vira uma cama que teoricamente daria pra duas pessoas, mas eu não acho que daria pra dois adultos. Do jeito que está, o motorhome tem 10 conjuntos de cintos de segurança.

As configurações de motorhome mudam muito. Quando as pessoas compram um elas geralmente escolhem a planta do jeito que elas querem, realmente tem muitas maneiras de se configurar um. Eu achei que nessa configuração tinha pouco espaço pra guardar coisas de cozinha, mas eu também acho que tem jeito pra tudo e uma boa organização é essencial. A geladeira é dessas side-by-side parecidas com as normais de casa, com bastante espaço, mas as prateleiras são mais rasas, então não é qualquer coisa que vai caber. As prateleiras também são aparafusadas, então mudar a posição delas demora um pouco. No geral, eu achei o freezer bem razoável, mais ou menos do tamanho de um freezer daquelas geladeiras de uma porta só. Nós levamos dois galões de leite, sucos, comidas em geral, sorvetes, e sobrou bastante espaço. Com certeza não deixa muito a desejar a uma geladeira side-by-side comum de casa.

A cozinha também tem um microondas e um fogão com forno. O motorhome também conta com um sistema de aspirador de pó central, então é só acoplar a mangueira nos buraquinhos que tem espalhados perto do rodapé que ele começa a funcionar, facilitando bastante na hora de limpar. Antes de chegar no quarto temos o banheiro de um lado com vaso sanitário, outra pia e bastante lugar pra guarda coisas. Do outro lado do corredor fica o chuveiro com bastante espaço também.

Como já estava ficando tarde, não arrumamos muita coisa antes de sair, só aquilo que poderia ser danificado se caísse, etc. Tudo balança muito durante a viagem. A pia tem uma “tampa” pesadona, então é um bom lugar pra deixar certas coisas. Eu fiz a grande besteira de colocar o vidro enorme de detergente de pratos em cima da pia que eu achei que estaria  seguro atrás de 2 galões e meio de água (cerca de 9 litros e meio). No meio da viagem o galão de água *E* o detergente cairam no chão. Não tivemos maiores problemas com o a água, mas a tampa do detergente quebrou e espalhou gosma azul pelo chão da cozinha toda. Foi fácil limpar com papel porque não caiu no carpete, mas realmente não dá pra confiar em deixar nada que não esteja muito bem guardado.

20130608-080603.jpg

Esse é um dos painéis de controle, basicamente o território do co-piloto: moi. Durante a viagem eu fico de olho na parte elétrica ou alguma luzinha significante de problema. Quando estacionamos pra passar a noite, mudo a energia das baterias pra energia da “rua”, ligo o aquecedor de água, aciono os suportes de nivelamento do motorhome (depois de chegar se está tudo desobstruído embaixo da carroceria), checo o nível das águas e ligo o segundo ar condicionado se tivermos mais do que 30 ampéres. 

20130608-075810.jpg

O Robert achou o assento bem confortável pra longas viagens, é super fofinho e com bastante suporte pras costas. Uma coisa ruim: rádio dos tempos das cavernas. Eu crente que ía conectar meu bluetooth nele mas vou ter que fazer de outro jeito na próxima vez.

20130608-075706.jpg

E pé na estrada! Essa paisagem ainda é razoavelmente perto da minha casa, mas bem no alto da montanha. Note que ainda tem neve e muitos pinheiros.

20130608-075725.jpg

E a paisagem muda abruptamente quando se passa pro outro lado das cadeia de montanhas Cascades e a vegetação é de deserto. Foi uma boa hora pra conversar com o Thomas (e com o Lucas) sobre a geografia do lugar, a vegetação e o relevo do estado e ouvir as observações dele.

20130608-075759.jpg

Não reparem a bagunça, estávamos bem cansados, mas isso foi logo que chegamos. As duas extensões da sala foram acionadas e agora temos bastante espaço para  as crianças. Você pode fechar todas as cortinas se quiser ter privacidade. As janelas também tem apenas aquela cortina meio transparente que proporciona certa privacidade, mas nós fechamos tudo mesmo porque nesse RV park as vagas eram bem próximas uma da outra.

20130608-075840.jpg

Walla Walla é uma cidade bem pequena mas muito simpática. A principal economia da cidade são as vinícolas, então se você gosta de wine tasting e está no estado de Washington, esse é O lugar pra se estar. Se vocês pintarem por lá, passe na vinícola Tertulia Cellars, cujo Enólogo é nosso amigo Ryan Raber. Ele é casado com uma querida amiga brasileira. O meu vinho favorito da Tertulia é o Viognier.  Nacionalmente, além do vinho, a cidade é conhecida pelas cebolas Walla Walla que são enormes e doces, algumas pessoas mordem ela inteira e crua mesmo.

20130608-075900.jpg

E as lojas e restaurantes simpáticas subiram a altura do tipo de gente que vai pra lá, adicionando muitas opções gourmet: até a pizza – essa era de uva com queijo de cabra, uma das melhores pizzas que já comi! Em Walla Walla você vê ao mesmo tempo restaurante de comida vegan e gente com chapéu de cowboy, e pelo o que pude notar, é uma cidade bem jovem, com muitas famílias com crianças pequenas. Vi muitas galerias de arte e uma vibe bem moderna com prédios históricos. O USA Today selecionou Walla Walla como a cidade pequena mais amigável dos EUA e ela também está em uma lista das melhores cidades pequenas do país.

20130608-075926.jpg

Eu queria achar uma fazenda de queijos que era mais afastada do centro de Walla Walla então fomos procurar. Não achamos, então resolvemos dirigir e ver onde dava. Não deu muito em lugar nenhum não, então voltamos.

20130608-075941.jpg

Essas fotos de celular não fazem justiça a paisagem, a amplidão e a solitude desse lugar. As colinas são simplesmente incríveis, cada uma com uma forma mais bonita que a outra.

20130608-080326.jpg

Mas nós viemos pra ver o Balloon Stampede de Walla Walla. Esse tipo de festival acontece em outras cidades nos Estados Unidos, mas eu realmente não sabia o que me esperava. Foi muito legal e as crianças amaram. O evento mesmo é de graça e você só paga pelas comidas e bebidas e tickets pras criancas irem em brinquedos. Eu ainda preciso ter tempo pra colocar as fotos feitas com a câmera, porque essas de celular realmente deixam muito a desejar. A foto de cima é do Night Glow, onde eles inflam vários balões (acho que mais de 10) assim que a noite cai e os acendem ao som de uma banda ao vivo e de um locutor bem carismático estilo locutor de rodeio.

Depois do Night Glow fomos aproveitar o que mais tinha lá, vários brinquedos infláveis, laser tag, etc. O Thomas foi subiu num touro mecânico (pequeno pra crianças), foi em outro onde ele colocava um macacão cheio de velcro e se jogava numa parede também de velcro, imagina a diversão! O Lucas e o Noah pularam e desceram nas escorregas dos infláveis até depois das 11 da noite e todo muito capotou assim que nós chegamos “em casa”.

No dia seguinte, às 6h da manhã, estávamos na continuação do festival onde eles sobem com os balões durante o dia. É muito interessante ver todo o processo de encher e eu fiquei fascinada. Eu só estava achando que eles fossem subir todos meio que ao mesmo tempo pra poder tirar umas fotos legais, mas nunca tinha mais do que um ou dois no céu. Eles subiam assim que acabavam de encher, não esperavam muito não. Apesar de estar marcado pra começar a subir às 6:30, a nossa amiga já tinha avisado que era bom chegar às 6 porque eles começam bem cedo mesmo. Depois disso eles ofereceram café da manhã com panquecas, mas a gente resolveu voltar pra arrumar as coisas e botar o pé na estrada de novo.

20130608-080411.jpg

20130608-080423.jpg

20130608-080357.jpg

20130608-080433.jpg

20130608-080540.jpg

E foi isso. A viagem de volta foi bem mais longa, fizemos várias paradas no meio do caminho pra esticar as pernas, pra comer, pra fazer xixi – o tanque de água do banheiro já estava todo vazio e com as solucões de limpeza e digestão!

20130608-080639.jpg

Quando chegamos em casa o Rob deu mais uma geral no motorhome antes de devolver, mesmo a gente já tendo deixado um brinco antes de sair de Walla Walla. Foi tudo muito legal, as crianças curtiram a novidade, e essa nossa viagem teste nos deu mais confiança pra descer até o sul da Califórnia. Muita gente não se sente confortável com esse tipo de viagem e essa era uma preocupação do amigo do Rob, mas eu prefiro do que viajar de avião (ainda mais com 3 crianças). Outra coisa importante foi ver o quanto de trabalho está envolvido em levar essa casa sobre quatro rodas (acho que tem umas 6, mas tudo bem) de um lado pro outro. Não é só ligar, dirigir e desligar: leva-se um tempo considerável preparando pra partir e pra passar a noite e realmente tudo precisa ser bem planejado e metódico. Claro que com a prática as coisas ficam mais fáceis e achamos que a viagem maior vai acontecer sem maiores problemas.

Agora eu que quero comprar um motorhome e sair por aí com a família!

p5rn7vb
 

2 Responses to A Primeira Viagem, Walla Walla – Parte 4

  1. Heloisa says:

    Oi, tudo bem. Sua viagem foi bem legal. Continue postando as novidades. Um abraço.

  2. leticia says:

    oi, luciana
    não sei se vc lembra de mim, mas acompanhava o seu antigo blog.
    voltei a ler alguns blogs e engraçado encontrar logo esse post aqui pq tb leio há muitos anos o lalaland hehehe
    mas enfim, vou continuar lendo pq muito me interessaram os post sobre a disneyland :)
    ps: seus filhotes estão lindos
    abs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>