Sobre decepções e como dar a volta por cima.

Hoje é quarta-feira e eu estou em casa estudando. Eu não tenho aula às quartas, o que é ótimo pra dividir a semana em dois e me dar mais tempo de me preparar corretamente. Esses últimos dois dias foram especiais pra entender o rítmo americano de estudo.

No Brasil, o mais comum é você ir aprender na sala de aula. Você chega sem ter a menor noção do que vai ser coberto naquela aula. O professor explica tudo direitinho, dá exemplos e você faz os exercícios em casa pra fixar a matéria. Aqui não: no primeiro dia de aula você recebe o syllabus das 10 semanas (a duração de um quarter, ou um período) especificando o que vai ser abordado em cada dia, o dia e horário das provas, os exercícios a serem feitos pré-laboratório e outros detalhes. Você chega na aula já sabendo a matéria e o professor só responde às dúvidas. No segundo dia de aula eu fiquei pensando “ele é PhD mas não vai falar nada sobre o assunto, vai ficar de blá-blá-blá?”

Mas a diferença mais importante é que o seu conhecimento é testado praticamente toda semana. No Brasil nos temos geralmente 2 ou 3 provas por semestre com o conteúdo cumulativo e dependendo da matéria um ou outro trabalho para ganhar uns pontos extras.

Dizer que tem que estar com a matéria em dia é pouco por aqui. Toda terça-feira eu tenho teste de biologia. Toda segunda-feira eu tenho que entregar um Lab Report (relatório científico) sobre os meus laboratórios de química. E toda semana eu tenho pelo menos dois capítulos de inglês pra ler e duas redações de duas folhas cada sobre o texto. E a primeira prova de inglês será daqui a duas semanas e consistirá numa ‘pequena’ redação de 5 folhas.

E por falar em inglês, já recebi a minha primeira nota americana. Eu tinha que escrever uma narrativa contando algum ‘first’ da minha infância, então escrevi de quando eu quebrei o queixo. Ganhei um A!

Mas… na terça foi minha primeira prova de química eu já saí de casa apavorada achando que não ía lembrar de nada. Quando o professor me deu a prova eu simplesmente comecei a tremer desesperadamente. E olha que essa matéria eu tô cansada de ter estudadado no passado e estudei muito na última semana. É coisa simplezinha mesmo: densidade, volume, conversão de temperatura. Mas me deu um pânico e fiz a prova meio que no modo automático. Saí de lá chorando porque eu tinha certeza que eu tinha errado uma questão idiota. Liguei pro Robert, chorei mais ainda. Cheguei em casa e fiquei pensando se eu já tinha passado da ‘validade’, que tô muito velha e que não tenho mais cabeça pra lembrar de química. Pensei em cancelar tudo e pedir um reembolso.

Acabei dormindo no sofá. Quando eu acordei, sacodi a poeira e voltei a estudar.

Vão precisar de mais do que uma questãozinha idiota pra me derrubar.